domingo, 28 de outubro de 2007

Peste negra

O quadro Triunfo da morte (1562), do pintor belga Peter Bruegel (1525-1569),retrata o horror que a peste negra causou na Europa

A peste negra ou bubônica assolou a Europa a partir de 1330, dizimando sua população, reduzindo-a à metade no final do século XVI. O quadro de Bruegel nos dá uma idéia do horror que a peste trazia para os europeus.

A peste é causada pela bactéria Yersinia pestis e apesar de ser comum entre roedores, como ratos e esquilos, pode ser transmitida por suas pulgas (Xenopsylla cheopis) para o homem. Isso só acontece quando há uma epizootia, ou seja, um grande número de animais contaminados. Deste modo, o excesso de bactérias pode entupir o tubo digestivo da pulga, o que causa problemas em sua alimentação. Esfomeada, a pulga busca novas fontes de alimento (como cães, gatos e humanos). Após o esforço da picada, ela relaxa seu tubo digestivo e libera as bactérias na corrente sangüínea de seus hospedeiros.

A peste negra foi a mais trágica epidemia que a História registra, tendo produzido um morticínio sem paralelo. Foi chamada peste negra pelas manchas escuras que apareciam na pele dos enfermos. Como em outras epidemias, teve início na Ásia Central, espalhando-se por via terrestre e marítima em todas as direções. Em 1334 causou 5.000.000 de mortes na Mongólia e no norte da China. Houve grande mortandade na Mesopotâmia e na Síria, cujas estradas ficaram juncadas de cadáveres dos que fugiam das cidades. No Cairo os mortos eram atirados em valas comuns e em Alexandria os cadáveres ficaram insepultos. Calcula-se em 24 milhões o número de mortos nos países do Oriente. Em 1349 a peste chegou ao centro e ao norte da Itália e dali se estendeu a toda a Europa. Em sua caminhada devastadora, semeou a desolação e a morte nos campos e nas cidades. Povoados inteiros se transformaram em cemitérios. Calcula-se que a Europa tenha perdido a metade de sua população.

para saber mais http://www.miniweb.com.br/Historia/Artigos/i_media/peste_negra.html

2 Comments:

Luiz Lailo said...

Aqui no Brasil essa onda também já aconteceu, tanto que, no nordeste, se alguém falar um palavrão, é quase normal. Mas se falar "peste" ou "bubônica" será logo admoestado: "Para de falar nome"!

lrpena said...

Olá,

andei meio sumido, mas foi por causa do cansaço mesmo. Andei dando uma geral na minha cabeça para tomar algumas decisões. E no mais como andam as coisas? Espero que tudo bem. Isabella está cada dia melhor, graças a Deus. Depois vou olhar o seu outro Blog.

Bjs.