segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Fogo!

Fábrica de Cartucho e Pólvoras – 1939 - Portugal

No século IX, os alquimistas chineses decobriram a fórmula da pólvora, mas o grande surto de armas de fogo só ocorreu no começo do século XII, quando a dinastia Sung foi disputada pelos tártaros do reino Jin da MAnchúria oriental. Durante a Dinastia Sung, a pólvora era usada em rifles e foguetes. O exército Song também comprimia pólvora em canos de bambu, além de usá-la como uma forma primitiva de sinalização. Em 1126 d.C., um oficial local chamado Li Gang registrou a defesa da cidade de Kaifeng com o uso de canhões, que causaram um grande número de vítimas em uma tribo nômade de saqueadores. A guerra pela disputa do reino durou 200 anos, houve, assim, uma corrida armamentista entre defensores e invasores e lança-chamas de bambu evoluíram para armas de com cano de metal, as granadas de papel deram lugar as bombas de ferroque derrubavam muros de pedras. Quando a tecnologia ds pólvora chegou à Europa, usada pela primeira vez em 1324, usado no cerco de Metz, hoje na França, o efeito foi explosivo no sentido literal da palavre e no tamanho do sucesso que esta arma obteve.

Infelizmente, a descoberta da pólvora movimenta hoje um mercado de armas em torno de 75 milhões, apenas nos EUA, alimentando guerras coletivas e pessoais no mundo inteiro

7 Comments:

Cristiane Fetter said...

Tem um presente para você lá em "casa"
www.todoyda.blogspot.com

Beijocas

luma said...

Na China antiga usavam muitas misturas junto com a pólvora e que hoje em dia, tem-se consciência que já eram formas primitivas de guerra química. Bom dia!! Beijus

Baby said...

É Luma, se naquele tempo uma forma primitiva de guerra química rudimentar já estava sendo aplicada, mesmo sem uma consciênica que isto fosse possivel, imagina se soubessem?? obrgada pela visita.. beijos no coração

Baby said...

Cris Xará rss obrigada pelo carinho e vou correndo buscar meu presente

Luiz Lailo said...

Em 1958 explodiu um depósito de munições do Exército no bairro de Deodoro, aqui no Rio de Janeiro. Eu estava em Barbacena, nas Minas Gerais. Me contaram que cada um corria para o mais longe possível.
Mais recentemente explodiu uma loja de Fogos aqui onde moro e destruiu pelo menos um quinto do quarteirão. Por sorte ninguém morreu.
A pólvora perto de um curto-circuito não é brincadeira.

luma said...

Sobre essa explosão em Deodoro, dizem ter sido um atentado contra o exercito! Beijus

Baby said...

Luiz, nossa obrigada por me informar deste fato historico, vou buscar informaçoes quem sabe faça um post do ocorrido, e a polvora é mesmo uma das invenções humanas que mais trouxe destruição e dor para a humanidade, o bom seria se ela nunca fosse descoberta, mas tb tem lá suas vantagens, como tudo tem dois lados, o bom e o ruim... beijoss e obrigada Luma pela informação do atentado vou averiguar se há registros históricos.