sábado, 20 de junho de 2009

História Contemporânea - Irã


Aconteceu no dia 12/06 a eleição no Irã, em meio a muita confusão o candidato Ahmadinejad saiu vencedor, embora a população não concorde com o resultado e o candidato opositor e ex-primeiro-ministro Mir Hossein Mousavi pediu ontem oficialmente a anulação das eleições presidenciais iranianas, Mousavi, derrotado pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad, exortou seus seguidores a prosseguir com as manifestações de "forma pacífica e legal".
Mousavi disse nesta segunda-feira, 15, que pede urgência ao Conselho para anular o resultado da eleição ocorrida na última sexta-feira, 12, na qual Mahmoud Ahmadinejad foi o vencedor.

"Após a revisão, o resultado será anunciado aos candidatos, " reportou a agência local ISNA que citou o porta-voz do Conselho de Guardiães, Abbasali Kadkhodai.

"Mousavi e Rezaie entraram com o pedido no domingo. Após o anúncio oficial (da apelação) o Conselho dos Guardiães tem 10 dias para ver se a eleição foi justa ou não", disse Kadkhodai.

Ahmadinejad e o Ministro do Interior possuem acusações de fraude na eleição, e o supremo líder Ayatollah Ali Khamenei tem chamado os iranianos para dar suporte a Ahmadinejad.

Vamos esperar para ver o que irá acontecer, enquanto isto em Teerã milhares de manifestantes saíram às ruas novamente neste sábado, 20, desafiando as advertências feitas na véspera pelo líder supremo do país, aiatolá Ali Khamene, que afirmou que os organizadores seriam responsáveis por um "banho de sangue". Os protestos são contra a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad numa votação que eles dizem ter sido fraudada. Em resposta à declaração do aiatolá Khamene, o líder da oposição Mirhossein Mousavi disse estar "pronto para o martírio", de acordo com um aliado. Mousavi também pediu uma greve nacional caso seja preso, afirmou uma testemunha. A tendência é que haja uma escalada da tensão política no país

Fonte: Folha de S. Paulo.

2 Comments:

Prof. Adinalzir said...

Oi, Cris

Muito bom o texto. Comentar sobre a situação no Irã é sempre muito importante. Haja visto o olho grande dos países ricos naquela região, principalmente os interesses norte-americanos. Algo me diz que tem o dedo dos Estados Unidos nessa história? O que você acha?

Abraços e saudações para todos aí em Feira de Santana. Aché!

Cris said...

Professor eu tenho certeza que os Estados Unidos, de uma certa forma, está envolvido ate "os dentes", embora o presdiente Obama passe uma imagem que não quer se envolver diretamente.
Obrigada pela visita e volte sempre, axé e bjos fraternos